A celebração da Circuncisão de Jesus.

A circuncisão de Jesus ocorreu, de acordo com o Evangelho de Lucas, oito dias após o seu nascimento (tradicionalmente em 1 de janeiro). O costume está de acordo com a Halachá, a lei judaica que afirma que os meninos devem ser circuncidados oito dias depois do seu nascimento numa cerimônia chamada de Brit Milah, na qual ele também ganhará seu nome. A circuncisão de Cristo se tornou um tema muito comum na arte cristã a partir do século X, um dos diversos eventos na vida de Cristo a ser frequentemente representado pelos artistas.

O evento é celebrado na Festa da Circuncisão da Igreja Ortodoxa em 1 de janeiro, qualquer que seja o calendário utilizado, e é também celebrada no mesmo dia por muitos anglicanos. Na Igreja Católica, é celebrado na Festa do Santo Nome de Jesus, em anos recentes no dia 3 de janeiro, como opcional, embora durante muito tempo tenha sido celebrada em 1 de janeiro, como ainda fazem algumas igrejas.

A representação mais antiga conhecida da Circuncisão de Jesus: “Menológio de Basílio II”.

O segundo capítulo do Evangelho de Lucas relata a circuncisão de Jesus:

Completados os oito dias para ser circuncidado o menino, deram-lhe o nome de Jesus, como fora chamado pelo anjo antes de ser concebido no ventre de sua mãe.

O Pe. Theodoro Ratisbonne em suas “Migalhas Evangélicas”, comentou sobre a celebração da Festividade da circuncisão do menino Jesus:

“O Filho de Deus, encarnado na natureza humana, fez-se obediente para reparar a insubordinação do pri­meiro homem. Desde sua entrada no mundo, aceita, co­mo os outros filhos de Abraão, a marca da primeira aliança, a fim de, com seu exemplo, santificar a humilde e perfeita obediência às observâncias religiosas. Sua vida inteira, desde seu nascimento até ao supremo momento em que expira sobre a cruz, é uma série ininterrupta de generosos atos de obediência, imolação e sacrifício.”

Comments

comments

Post Tagged with , , ,

Comments are closed.