Seria a cruz o fracasso de Jesus?

Num dos seus livros, o Papa Bento XVI responde de maneira brilhante à pergunta: Seria a cruz o fracasso de Jesus?

“Será que Jesus fracassou? Bem, certamente ele não foi bem sucedido no mesmo sentido como foi César ou Alexandre, o Grande. Do ponto de vista mundano, ele falhou em primeira instância: ele morreu quase abandonado e foi condenado por causa de sua pregação. A resposta à sua mensagem não foi o grande SIM de seu povo, mas a Cruz. A partir de um fim como esse, devemos concluir que o sucesso não é, definitivamente, um dos nomes de Deus e que não é próprio do Cristianismo ter um aparente sucesso.

Os caminhos de Deus são outros; seu sucesso surge da Cruz e é sempre encontrado sob esse sinal. As verdadeiras testemunhas de sua autenticidade, através dos séculos, são aqueles que aceitaram este sinal como seu emblema. Quando, hoje, nós olhamos para o passado histórico, temos que admitir que não é a Igreja das pessoas bem-sucedidas que nos impressiona; a Igreja dos papas que eram monarcas universais; a Igreja daqueles líderes que sabiam como se dar bem com o mundo.

Em vez disso, o que fortalece a nossa fé, que permanece constante, o que nos dá esperança, é a Igreja do sofrimento. Ela se sustenta, até os dias atuais, como um sinal de que Deus existe e que o homem não é apenas uma fossa, mas que ele pode ser salvo.

Isto é verdade para os mártires dos primeiros três séculos, e depois, em seguimento até Maximiliano Kolbe e as muitas testemunhas não identificadas que deram suas vidas para o Senhor sob as ditaduras de nosso tempo; tanto os que tinham que morrer por sua fé ou os que tiveram de deixar-se ser pisoteados, dia após dia e ano após ano, por causa dEle. A Igreja do sofrimento dá credibilidade a Cristo; ela é sucesso de Deus no mundo; o sinal que nos dá esperança e coragem; o sinal de que ainda existe o poder da vida, que ultrapassa os meros pensamentos de sucesso e que, assim, purifica os homens e se abre para Deus uma porta para este mundo.

Por isso, estejamos prontos para ouvir o chamado de Jesus Cristo, que alcançou grande sucesso de Deus na Cruz; aquele que, como o grão de trigo que morreu, tornou-se fecundo através dos séculos; a Árvore da Vida, em quem ainda hoje os homens podem colocar a sua esperança.”

Fonte: “God is near us”, Joseph Ratzinger. / tradução: Fr. Joel Moreira, nds.

Comments

comments

Comments are closed.